Fundo Solidário para Combate aos Efeitos do COVID-19 – Solidariedade Já!

_____________________________________________________________________________

1ª Fase

Doações Arrecadadas

R$ 402.517,55

Famílias Beneficiadas

3.176

Estimativa de Pessoas Beneficiadas pela Contenção do Contágio

19.056

_____________________________________________________________________________

2ª Fase

Doações Arrecadadas

R$ 54.508,80

Refeições Viabilizadas

8.000

Pessoas Atendidas

300

_____________________________________________________________________________

 Fundo Solidário para Combate aos Efeitos do COVID-19

Neste momento de isolamento social, mais do que nunca podemos aprender a exercer nossa solidariedade!

O COVID-19 já pode ser considerado a maior tragédia vivida pela humanidade desde a 2ª Guerra Mundial. São milhares de mortos, mais de 180 países infectados e impactos destrutivos na economia numa magnitude ainda não mensurável.

Em 11 de março, a Organização Mundial da Saúde declarou o novo coronavírus uma pandemia global. A melhor solução encontrada até agora para o seu controle é o isolamento social e o cuidado com a higiene permanente, como têm mostrado a China e a Coréia do Sul.

Aqui no Brasil, o primeiro caso foi confirmado em 26 de fevereiro e, em um mês, já passavam de 1.500. São Paulo, a cidade mais afetada pelo vírus, está de quarentena e muitas outras cidades e estados estão tomando medidas de restrição de circulação e paralisação de serviços públicos.

Medidas urgentes e necessárias, mas que já começam a impactar economicamente milhares de pessoas, principalmente as mais pobres, moradoras das periferias urbanas ou de áreas rurais longínquas. São 38,6 milhões de brasileiros vivendo do trabalho informal, 24 milhões autônomos e 11,9 milhões desempregados, que não contam com nenhum tipo de assistência ou benefício legal para sustentar a si e a suas famílias, muitas delas com crianças, jovens e idosos. Como esses 74,5 milhões irão enfrentar essa crise econômica generalizada, que pode se estender por vários meses? 

O Fundo de Solidariedade do COVID-19 foi criado para essa população mais vulnerável. É uma iniciativa de vários coletivos culturais e sociais com ações transformadoras na cidade de São Paulo, que, diante do caos social e econômico que se avizinha, resolveram atuar conjuntamente e colaborar.  Parte desses coletivos tem forte atuação na zona sul da capital e experiência frente a ações em territórios periféricos que possuem milhares de pessoas em situação de pobreza e vulnerabilidade.

Colabore para que a gente possa ajudar mais famílias: 

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/rede-de-apoio-ao-combate-do-covid19

 Como é feita a captação e distribuição dos recursos:

Na primeira fase os recursos captados foram repassados em sua integralidade para as famílias mapeadas, num valor de R$ 300 por família (custo de uma cesta básica contendo também produtos de higiene, fundamentais para o momento) e, em alguns casos e de acordo com o ritmo de captação, via doação direta da cesta básica de alimentos

O mapeamento foi realizado através de coletivos com experiência consolidada em trabalhos junto aos territórios, sendo consideradas condições socioeconômicas como renda (familiar e per capita), ocupação, presença de crianças, presença de idosos, participação em programas e transferência de renda do governo, moradia, entre outras.

A opção pelo repasse dos recursos de forma direta visou propiciar a circulação financeira no território, movimentando a economia local que será fortemente atingida pela crise estabelecida, além de atender ao fato de que muitas das demandas mapeadas nos territórios serem referentes ao pagamento de contas e compra de medicamentos. 

Soma-se ainda o cuidado em evitar ao máximo a circulação de pessoas de fora do território, mesmo que para operacionalização de doações, evitando introduzir naquele espaço possíveis vetores de contaminação.

Passada a 1ª fase (na qual atendemos mais de 3.000 famílias) e considerando o contexto de guerra que assola as periferias da cidade, iniciamos a 2ª fase com uma nova estratégia e um novo projeto de Cozinhas Comunitárias.

Nesta fase organizamos e estamos operacionalizando, a princípio, 7 cozinhas comunitárias espalhadas nas periferias das 4 regiões de São Paulo a fim de atender famílias que estão vivendo em situação de extrema vulnerabilidade.

Por conta disso pedimos sua ajuda, se possível. Precisamos de doações tanto de recursos financeiros como de alimentos para que possamos garantir um direito básico fundamental a essas famílias, que é o de garantia de condições mínimas de alimentação digna.

Por favor compartilhe essa campanha!